Trabalho a quente

“Trabalho a quente” é a definição de toda atividade envolvendo queima, soldagens ou operações similares que são capazes de iniciar incêndios ou explosões. Trabalhos a quente também incluem outras atividades com potencial de criar fontes de ignição, tais como cortes, brasagem e desbaste. Os trabalhadores estão expostos a riscos potencialmente grandes, não apenas nas indústrias de petróleo e química, mas também nas indústrias de alimentos, papel, tratamento de água, etc.

O trabalho a quente pode ser conduzido de modo seguro em sua empresa, com um programa de gerenciamento de trabalhos a quente, cujos principais pontos devem ser:

1. Estabelecer áreas: Determinar as áreas onde o trabalho a quente é permitido livremente, permitido com restrições ou proibido;
2. A permissão de trabalhos a quente: Para autorizar o trabalho a quente, designar um formulário específico e uma pessoa responsável por esta autorização;
3. Usar o formulário: Se não for possível evitá-lo, autorizar o trabalho a quente mediante a autorização formal e somente quando as precauções necessárias forem tomadas;
4. Garantir a política: Assegurar o conhecimento e cumprimento desta política por parte de funcionários, sejam eles próprios ou terceiros.

A permissão de trabalhos a quente é um documento que autoriza, temporariamente, os funcionários próprios e terceiros a realizarem estes serviços nas áreas “de permissão necessária”. Na permissão, constam as devidas precauções de segurança que devem ser satisfeitas antes, durante e depois do início do trabalho. O prazo de validade da permissão é determinado pelo Autorizador e vale no máximo um dia; após isso, ou se as condições mudarem, uma nova permissão deve ser emitida.

NR18.11 e NR34.5 definem bem este assunto.

NR 18 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção.

18.11. Operações de soldagem e corte a quente.
18.11.1. As operações de soldagem e corte a quente somente podem ser realizadas por trabalhadores qualificados. (118.199-8 / I2).
18.11.2. Quando forem executadas operações de soldagem e corte a quente em chumbo, zinco ou materiais revestidos de cádmio, será obrigatória a remoção por ventilação local exaustora dos fumos originados no processo de solda e corte, bem como na utilização de eletrodos revestidos. (118.200-5 / I4)
18.11.3. O dispositivo usado para manusear eletrodos deve ter isolamento adequado à corrente usada, a fim de se evitar a formação de arco elétrico ou choques no operador. (118.201-3 / I4)
18.11.4. Nas operações de soldagem e corte a quente, é obrigatória a utilização de anteparo eficaz para a proteção dos trabalhadores circunvizinhos. O material utilizado nesta proteção deve ser do tipo incombustível. (118.202-1 / I2). Ex. Mantas térmicas.

NR 34.5 – Trabalho a quente.

34.5 Trabalho a Quente.
34.5.1 Para fins desta Norma considera-se trabalho a quente, as atividades de soldagem, goivagem, esmerilhamento, corte ou outras que possam gerar fontes de ignição, tais como aquecimento, centelha ou chama.
34.5.1.1 As medidas de proteção contemplam as de ordem geral e as específicas. As de caráter geral são aplicadas a todas as atividades inerentes ao trabalho a quente; as especificas para trabalhos em áreas não previamente destinadas a este fim. Medidas de Ordem Geral.
34.5.2 Inspeção Preliminar
34.5.2.1 Garantir local de trabalho e áreas adjacentes limpos, secos e isentos de agentes combustíveis, inflamáveis, tóxicos e contaminantes.
34.5.2.2 Liberar a área somente após constatar ausência de atividades incompatíveis.
34.5.2.3 Garantir que a realização de trabalho a quente seja executada por trabalhador qualificado.
34.5.4 Proteção contra Incêndio
34.5.4.1 Eliminar ou manter sob controle possíveis riscos de incêndios.
34.5.4.2 Instalar proteção física adequada contra fogo, respingos, calor, fagulhas ou borras, de modo a evitar o contato com materiais combustíveis ou inflamáveis, bem como interferir em atividades paralelas ou na circulação de pessoas.
34.5.4.3 Manter desimpedido e próximo à área de trabalho sistema de combate a incêndio, especificado conforme tipo e quantidade de inflamáveis e/ou combustíveis presentes.
34.5.4.4 Inspecionar o local e as áreas adjacentes ao término do trabalho, a fim de evitar princípios de incêndio.

Valdir Ferreira

Valdir Ferreira

Especialista de Proteção Térmica e Bombeiro Industrial

Com mais de 10 anos de conhecimento em vestimentas térmicas, especialista em NR10 e NR 15, Valdir desempenha um papel de destaque. Atua em soluções para combate a incêndio industrial e trabalhos que necessitam de proteção contra calor irradiado, calor convectivo, calor de contato e respingos de metal em fusão.
O especialista também faz parte da Comissão de Estudos - Luvas e Vestimentas de Proteção - Riscos Térmicos da ABNT/ CE-032:006.004 – ANIMASEG.
Valdir Ferreira

Últimos posts por Valdir Ferreira (exibir todos)

Comments

comments