A FALSA SENSAÇÃO DE SEGURANÇA

Assim como as câmeras de segurança que nos cercam todos os dias, os EPIs também nos proporcionam a sensação de proteção. Porém fique atento, essa sensação pode ser errônea.

Ninguém espera se acidentar enquanto estiver usando um sistema de proteção contra quedas completo. Afinal, estes equipamentos são para prevenir que isso não aconteça, correto?

É claro que eles são feitos para isto, porém a grande sacada desta frase é: SUPOSTO. Se você não estiver usando um sistema de proteção contra quedas corretamente, ou não esta levando em consideração alguns fatores externos que poderiam tornar seu sistema inútil, sua proteção contra quedas está fazendo nada além de proporcionar-lhe uma falsa sensação de segurança.

Então, quais são algumas das coisas que você pode estar fazendo que colocam em perigo você mesmo ou seus colaboradores, mesmo que um sistema de proteção contra quedas esteja no seu devido lugar?

Lembre-se: a segurança não é sobre a colocação ou implementação de uma regra, mas é realmente sobre proteger a si mesmo e/ou seus colaboradores.

Dar algo aos colaboradores que eles acham que vai ajudá-los, mas não irá, é quase ou tão mais perigoso do que dar-lhes nada. Uma falsa sensação de segurança poderia levar as pessoas a correr riscos que de outra forma não tomariam.

Seja você um usuário de equipamentos de proteção contra quedas ou como um empregador, entenda o que você está usando/fornecendo e o que você realmente precisa. Se as respostas não corresponderem às perguntas, você pode estar correndo sérios riscos de ter um acidente.

Trabalhe seguro!

Você sabia que a Hércules disponibiliza uma equipe técnica altamente qualificada para entender a sua necessidade? E além disso, apresentar a solução mais adequada para a sua operação? Não deixe de utilizar os nossos serviços e fazer parte do mundo Hércules. Consulte um de nossos especialistas.

Rafael Cruz

Especialista de Trabalho em Altura e Espaço Confinado.

Com mais de 15 anos como consultor de equipamentos de proteção individual. Formado há 4 anos como Instrutor e Pessoa Competente para Trabalho em Altura (OSHA/EUA) e Instrutor de Trabalho em Altura (NR-35). Além de ser instrutor de resgate industrial e espaço confinado.
Rafael Cruz