Como Planejar uma Atividade em Altura

A partir do momento em que nos aventuramos em um novo projeto de trabalho em altura, é uma boa ocasião para fazer um balanço de como estamos fazendo e se é necessário ter uma medida diferente para este novo trabalho. Por mais que as atividades de altura sejam parecidas, nem sempre o mesmo equipamento e análise de risco serão iguais.

Não é segredo que as quedas foram as principais causadoras de acidentes com óbitos na construção civil e na indústria e que há tempos lembramos que a proteção contra quedas leva o primeiro lugar na atenção das empresas e profissionais devido a esse alto índice de ocorrências. De alguma forma, nós não estamos apenas compreendendo isso e à medida que 2018 evolui, cito abaixo alguns pontos a considerar e que podem ajudá-lo a fazer sua parte do seu dia-a-dia para evitar quedas.

Planejamento para a proteção contra quedas:

Na minha experiência, a falta de proteção adequada contra quedas decorre muito pela falta de planejamento. Quando avaliamos o próximo trabalho, olhe os planos, o local da atividade, fotografe, desenvolva um método seguro e compatível de proteção contra quedas! Compre equipamentos adequado a atividade, treine os trabalhadores e implemente os planos de proteção adequadamente, não se resuma a crer que trabalho altura é apenas cinto e talabarte. 

No entanto, quando deixamos a proteção contra queda para decisões de campo de última hora, é raro que o equipamento seja adequado e esteja disponível ou que os funcionários da atividade, ainda que não estejam sentindo a pressão do cronograma para que o trabalho, termine. Eles começam a trabalhar de qualquer maneira e sem se preocupar com procedimentos, como por exemplo usar o cinto adequado, o talabarte ou trava-quedas e até mesmo onde se ancorar. Acreditem, já vi trabalhadores ancorados em eletrocalhas (uma calha para passar fios e cabos). Será que numa possível queda isto irá resistir?

Em alguns casos, os trabalhadores até têm os equipamentos adequados ​​e querem fazer o que é certo, mas não são treinados adequadamente, e achar que estão “fazendo a coisa certa” pode ter resultados desastrosos.

Selecionar os pontos de ancoragem adequados e determinar as zonas livres de queda não são coisas que uma pessoa que não foi treinada saberá como fazer corretamente.

Tudo isso é eliminado quando planejamos.

A Hércules conta com uma equipe de profissionais altamente gabaritados para lhe auxiliar nestas questões e seleções de equipamentos de proteção individual contra quedas. Consulte-nos e vamos juntos tornar o trabalho em altura mais seguro e com menos riscos de acidentes.

Curtam e compartilhem estas informações com todos os profissionais e teremos cada vez menos pessoas sendo colocadas em riscos desnecessários.

Rafael Cruz

Rafael Cruz

Especialista de Trabalho em Altura e Espaço Confinado.

Com mais de 15 anos como consultor de equipamentos de proteção individual. Formado há 4 anos como Instrutor e Pessoa Competente para Trabalho em Altura (OSHA/EUA) e Instrutor de Trabalho em Altura (NR-35). Além de ser instrutor de resgate industrial e espaço confinado.
Rafael Cruz