Trabalho em Altura: diferenças entre Talabarte e Trava-Quedas

O Trabalho em Altura exige cuidados muito especiais quando o assunto é segurança. Tanto que existe uma NR específica para esse tipo de atividade, a NR 35. Dentre os Equipamentos de Proteção Individual necessários e obrigatórios para proteger o profissional que trabalha a pelo menos 2 metros acima do chão, dois EPIs populares são o Trava-Quedas e o Talabarte. Você sabe qual é a diferença entre eles? Vamos explicar neste post. 😀

Os dois EPIs são essenciais para evitar que o profissional sofra uma queda e fique protegido quando realiza um Trabalho em Altura. São utilizados para passar firmeza e segurança enquanto os trabalhadores realizam atividades em andaime, suspensos em cadeiras limpando parte externa de prédios, em manutenção de postes e qualquer outro tipo de atividade em que eles precisem ficar suspensos.

Características do Trava-Quedas

O Trava-Quedas é um dispositivo mecânico de travamento que deve fazer a ligação entre o Cinto de Segurança e o ponto de ancoragem para evitar que o trabalhador sofra uma queda durante o trabalho.

O Trava-Quedas pode ser encontrado em dois tipos diferentes:

  • Deslizante: sendo acoplado à uma linha de vida colocada em posição vertical e faz os movimentos de deslocamento em uma linha de ancoragem que pode ser rígida ou flexível.
  • Retrátil: composto por um cabo ou fita enrolada, que retrai ou estende por meio de uma mola, dependendo da locomoção vertical do trabalhador.

Características do Talabarte

Cada Talabarte é desenvolvido para atender demandas específicas para Trabalhos em Altura. Também deve ser conectado ao Cinto de Segurança e a um ponto de ancoragem, mas ele tem um espaço maior de queda do que o Trava-Quedas, que trava no momento em que há um impacto mais forte. O Talabarte tem uma folga que permite uma queda levemente mais longa, sendo obrigatório possuir uma zona livre de queda para se seguir.

O Talabarte pode ser encontrado em três tipos diferentes:

  • Talabarte Simples: composto por apenas uma perna sendo uma extremidade com um ponto de conexão para conectar ao cinto e a outra ao ponto de ancoragem confiável e deve ser utilizado em situações com menor nível de risco para a execução do Trabalho em Altura.
  • Talabarte Duplo: Geralmente em formato de Y, composto por um ponto de conexão com o Cinto de Segurança e dois pontos de conexão, para conectar nos pontos de ancoragem confiáveis. Para estruturas como andaimes, a utilização do Talabarte Duplo é obrigatória.
  • Talabarte de Posicionamento: funciona como um sistema para posicionar o trabalhador, não podendo ser utilizado para retenção de quedas. Por isso, deve ser utilizado em conjunto com o Talabarte Simples, Talabarte Duplo e até mesmo com o Trava-Quedas.

Segurança nas alturas

A segurança do profissional que realiza Trabalho em Altura deve estar em primeiro lugar. É importante conhecer o tipo de trabalho que será realizado, quais os riscos a que esse trabalhador está exposto para poder decidir corretamente qual EPI utilizar, o Trava-Quedas ou o Talabarte. Independente de qual seja a escolha, o uso desses equipamentos é obrigatório.

Agora nos diga, o que achou da explicação sobre as diferenças entre os dois EPIs? Acredita que faltou alguma informação? Coloque nos comentários sua opinião!

E sempre que precisar de informações confiáveis sobre Talabartes e Trava-Quedas, venha nos visitar, pois aqui é o Blog dos Especialistas em Trabalho em Altura.

Até breve!
Equipe Hércules