Trabalho em Altura: tudo o que você precisa saber

É considerado Trabalho em Altura toda e qualquer atividade realizada acima de 2 metros de altura da base principal, com risco de queda do profissional. Esse tipo de trabalho requer um cuidado todo especial para que possa ser feito de forma segura, minimizando os riscos corridos pelo trabalhador e oferecendo toda a segurança para que a atividade possa ser feita de forma satisfatória.

Esse tipo de atividade apresenta riscos ao trabalhador que podem ser fatais, por isso é importante seguir à risca todas as recomendações para que o Trabalho em Altura possa ser realizado da forma correta. É essencial que os trabalhadores estejam devidamente treinados e habilitados para executar o trabalho e que tanto empregado quanto empregador respeitem os procedimentos determinados pela NR-35.

Neste post mostraremos tudo o que você precisa saber sobre o Trabalho em Altura para que seja feito em segurança e respeitando todas as normas e procedimentos de segurança. Verá quais são as principais responsabilidades do empregador, as principais responsabilidades do empregado, quais os EPIs necessários para o Trabalho em Altura e outras informações importantes para deixar você por dentro de tudo sobre este assunto.

Responsabilidades do Empregador

O empregador tem responsabilidades muito claras e importantes para a realização do Trabalho em Altura, e é importante que ele as conheça bem para que possa oferecer toda informação e segurança que os trabalhadores precisam. Listaremos aqui as principais responsabilidades do empregador para o Trabalho em Altura.

É responsabilidade do empregador para execução do Trabalho em Altura:

  • Garantir a implementação das medidas de proteção estabelecidas na NR-35.
  • Assegurar a realização da Análise de Risco e a emissão da Permissão de Trabalho, quando necessário.
  • Desenvolver procedimento operacional para as atividades rotineiras de trabalho em altura.
  • Garantir aos trabalhadores informações atualizadas sobre os riscos e as medidas de controle.
  • Garantir que as atividades sejam iniciadas somente depois que todas as medidas da NR-35 forem adotadas.
  • Suspender as atividades sempre que um risco não previsto se apresentar.
  • Rever sempre os procedimentos adotados e, em caso de ocorrência, treinar toda a equipe novamente.

Responsabilidades do Trabalhador

O trabalhador é, sem dúvida, o mais afetado por todas as possíveis consequências de um Trabalho em Altura feito sem que as medidas de segurança recomendadas sejam tomadas. Por isso, é essencial que ele passe pelo treinamento necessário, com carga horária mínima de 8 horas, e seja certificado para esse tipo de atividade. É necessário que ele conheça suas responsabilidades e deveres para preservar sua integridade física.

É responsabilidade do trabalhador para a realização do Trabalho em Altura:

  • Cumprir as disposições legais e regulamentares sobre Trabalho em Altura, inclusive os procedimentos expedidos pelo empregador.
  • Colaborar com o empregador na implementação das disposições contidas na NR-35.
  • Interromper suas atividades exercendo o direito de recusa, sempre que existirem evidências de riscos graves e iminentes para sua segurança e saúde ou a de outras pessoas, comunicando imediatamente o fato a seu superior hierárquico, que tomará as medidas cabíveis.
  • Zelar pela sua segurança e saúde e a de outras pessoas que possam ser afetadas por suas ações ou omissões no trabalho.
  • Atualizar o curso para o Trabalho em Altura a cada 2 anos e sempre que houver alteração na legislação, mudança de empresa ou qualquer outra situação que precise de atualização.

EPIs para Trabalho em Altura

Uma parte fundamental do Trabalho em Altura é a proteção do trabalhador. Para que essa proteção seja feita de forma eficaz, é essencial a correta utilização dos EPIs específicos para o Trabalho em Altura. Com os EPIs recomendados para esse tipo de atividade, o empregador e trabalhador minimizam as chances de acidente ou fatalidade.

É responsabilidade do empregador fornecer os EPIs com validade vigente para os seus trabalhadores. E cabe ao trabalhador se certificar da correta utilização dos equipamentos necessários para garantir a sua segurança.

Os principais EPIs para a realização do Trabalho em Altura são:

  • Trava-quedas;
  • Cinto de Segurança tipo Paraquedista ou Cinto de segurança tipo Alpinista;
  • Capacete com jugular;
  • Talabartes ajustáveis;
  • Talabartes simples;
  • Talabarte Y;
  • Botinas de segurança;
  • Óculos de segurança;
  • Luvas de segurança.

Análise de Risco para Trabalho em Altura

Um ponto bastante importante para o Trabalho em Altura é a Análise de Risco, que deve ser feita obrigatoriamente antes de qualquer atividade em altura. Além de todos os riscos naturais desse tipo de atividade, a análise de risco deve considerar:

  • O local em que o serviço será executado e o seu entorno.
  • O isolamento e a sinalização no entorno da área de trabalho.
  • O estabelecimento dos sistemas e pontos de ancoragem.
  • As condições meteorológicas adversas.
  • O risco de queda de materiais e ferramentas.

Permissão de Trabalho para Atividade em Altura

No caso de Atividades em Altura não rotineiras, é preciso que elas sejam previamente autorizadas e aprovadas por uma Permissão de Trabalho, que deve ter a validade do tempo de execução da atividade. Esse importante documento deve conter as seguintes informações:

  • Os requisitos mínimos a serem atendidos para a execução dos trabalhos.
  • As disposições e medidas estabelecidas na Análise de Risco.
  • A relação de todos os envolvidos e suas autorizações.

Trabalho em Altura: tudo o que você precisa saber

Acreditamos que este Post ficou bem completo, pois nosso objetivo foi entregar para você as principais informações a serem consideradas para uma correta realização do Trabalho em Altura.

E lembre-se: Sempre que precisar de informações confiáveis, venha nos visitar, pois aqui é o Blog dos Especialistas em Trabalho em Altura.

Até breve!
Equipe Hércules